Surpresas no comércio exterior – 38 (ferrovias brasileiras)

 

A primeira ferrovia brasileira, com apenas 14,5 quilômetros de extensão, a Estrada de Ferro Petrópolis, foi inaugurada em 30.04.1854, e sua bitola era de 1,676 m.

Ela cresceu bastante no século 19 e início do século 20, atingindo, em 1920, uma extensão de quase 29.000 quilômetros, tendo seu ápice em 1948 com quase 36.000 quilômetros. Desde então, o descaso dos nossos governantes com as ferrovias a fez retroceder para aproximadamente 29.000 quilômetros apenas.

As bitolas (distância entre os trilhos) utilizadas em nossas ferrovias, não seguem a bitola padrão internacional, de 1,435 m, e as que utilizamos são a estreita, de 1,0 m (75%) e a larga, de 1,6 m (25%).

Seguindo a probabilidade de construção como uma estratégia da segurança nacional, todos os nossos vizinhos tem bitolas diferentes, sendo o Paraguai e o Uruguai com bitola de 1,435 m, o Chile com 1,0 m e 1,676 m, a Argentina com 1,0 m, 1,435 m, 1,600 m e 1676 m, Bolívia 1,0 m.

Assim, o único país com que temos fronteira e podemos realizar transporte direto com a mesma bitola, é a Bolívia, sendo que com todos os demais países temos que proceder a algum tipo de operação, como transbordar as mercadorias de um trem a outro.

Outras operações podem ser o transbordo de um semi-reboque de carreta rodoviária de um trem a outro, o TOFC-trailer on flat car, também chamado de piggy back, ou o transbordo de um container, o COFC-container on flat car.

Outra operação interessante é a do roadrailer ou transtrailer, que é a transformação do semi-reboque rodoviário em vagão de trem. Ele funciona através da utilização de truques ferroviários, e esses truques mantém as rodas dos semi-reboques suspensas durante a viagem ferroviária. O único equipamento de um trem é a locomotiva.

As ferrovias voltaram a renascer através da privatização das suas operações ocorrida entre 1997 e 1999, mas, hoje, embora tenham melhorado muito nas operações, e voltassem a dar lucros, ainda temos os mesmos quase 29.000 quilômetros.

Mas, a perspectiva é que tenhamos em breve um aumento da sua extensão, com a inauguração de novas ferrovias, como a norte-sul, com mais de 4.000 quilômetros que, finalmente, após 34 anos, estará quase pronta e operacional, ligando o porto de Itaqui na Maranhão ao porto de Santos.

Author: Samir Keedi

-Mestre (Stricto Sensu) e pós-graduado (Lato Sensu) em Administração pela UNIP-Universidade Paulista. -Bacharel em Economia pela PUC-Pontifícia Universidade Católica. -Profissional de comércio exterior desde março de 1972. -Especialista em transportes; logística; seguros; Incoterms®; carta de crédito e suas regras; documentos no comércio exterior; contratos internacionais de compra e venda. -Generalista em várias atividades em comércio exterior. -Consultor em diversos assuntos relativos ao comércio exterior. -Professor universitário de graduação e pós graduação desde 1996. -Professor e instrutor técnico desde 1996. -Palestrante em assuntos de comércio exterior e economia. -Colunista em jornais e revistas especializadas. -Autor de vários livros em comércio exterior. -Tradutor oficial para o Brasil do Incoterms 2000. -Representante do Brasil na CCI-RJ e Paris na revisão do Incoterms® 2010.

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *